Sala de Payogasta, um grande hotel

Conheça um dos belos motivos para ancorar em Payogasta

Talvez Payogasta fosse tomar apenas dois minutos de uma road trip de 17 dias cruzando as províncias de Salta, Jujuy e o Deserto de Atacama. Talvez Payogasta fosse apenas uma placa no acostamento, uma referência para sair da Ruta 33 para a 40, em direção a Cachí. Mas como na estrada o talvez é uma espécie de “anjo mau” caroneiro, desta vez ele embarcou no carro tomou o volante e nos largou ali: numa cama gigante com lençóis limpos; com boa comida em mesas fartas, conforto e, claro, muito vinho.

GOPR8096

Provavelmente não guardaríamos muita coisa na memória, e a passagem por Payogasta registraria apenas diálogos mal humorados no estilo: “falta quanto para Cachi?”, “acho que mais uns 15 quilômetros”, “graças a Deus”. Mas, por conta de um convite do Hotel Sala de Payogasta, nossa passadinha pelo vilarejo tornou-se estadia e, por consequência, caso de amor. Muito além dos dois minutos usuais que levaríamos para cruzar os dois quilômetros de sua rua principal (a Ruta 40), o povoado nos reservou um belo fim de tarde, uma noite agradável e uma manhã gostosa.

Payogasta

O outdoor simplório dá boas vindas à terra da páprica e do “pimentón”. Não mais que 400 pessoas vivem ali. Payogasta é um exímio lugar que me encanta pelo simples motivo de que quase ninguém ouviu falar, e muito menos já esteve lá. O povoado é pacato e tem no Hotel Sala de Payogasta seu grande empreendimento. A comunidade pertence ao Departamento de Cachí, municipalidade também acanhada que fica a uns 20 minutos seguindo por uma das inúmeras partes empoeiradas da RN 40 na Província de Salta.

DSC_0904
Aqui vemos dois tipos de especiarias muito especiais: o pimentón em pó e essa simpática família de produtores.

O hotel

O casarão branco com janelões de madeira é herança de guerra, fruto da revolução que libertou as províncias do norte. A construção forma um quadrado que redoma o pátio ornamentado por uma praça e uma fogueira ao centro. Colunas robustas e redondas abraçadas por parreiras sustentam o telhado em adobe. Atmosfera que torna impossível não imaginar antigos senhores sendo servidos por dezenas de criados em correria organizada por ali tempos atrás.

Os quartos são espaçosos e condizentes com os requintes de época. Uma cama cheirosa e gigantesca, pé direito alto, vigas de sustentação em pau de cacto; decoração e tapeçaria rústicas, abajures e lareira; uma antessala com uma cama extra e armário de madeira forte. O banheiro possui banheira e todos os instrumentos que sua mucama necessita para lhe dar um bom banho, conforme o merchan abaixo.

Gastronomia e vinícola de altitude

Com vista única para o mar campal de lavanda, aos pés da formação rochosa que se assemelha a uma gigantesca mesa bege e árida, o restaurante do Sala de Payogasta põe a riqueza gastronômica local de frente para uma vitrine natural que transpassa os olhares por paredes de vidro. De manhã, no almoço e na janta, é um lugar sacro pecaminoso, um culto à natureza e à gula.

A cozinha do Sala de Payogasta se orgulha em servir insumos da terra. Marmeladas de frutos locais, pães caseiros e queijo de cabra; almoços e jantares típicos com carne de cordeiro assada em brasa, vinagretes temperados, humitas, tamales e chimichurri. Para beber, o recepcionista e garçom nas horas vagas, desarrolha e explica os estilos e processos de fabricação dos vinhos drenados do vinhedo que se localiza ao atravessar a rua.

DSC_0697
Tamal. Não, tô bem. Na real, tô bem pra caralho.

É por essas e outras que o slogan do Hotel Sala de Payogasta nasceu numa banheira. Sala de Payogasta, um grande hotel.

Acesse o site do Sala de Payogasta, confira também o Instagram @saladepayogasta e a página no Facebook.

Clique aqui e leia a reportagem especial sobre a Província de Salta.

Mais fotos no Instagram @mochilacronica, siga-nos.

Veja mais fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

Um comentário sobre “Sala de Payogasta, um grande hotel

  1. ….”O banheiro possui banheira e todos os instrumentos que sua mucama necessita para lhe dar um bom banho…” ri alto aqui …. não por este motivo (ser banhada por mucama, eu dispenso, prefiro mucamO…hahaha) mas ao terminar de ler, deu uma vontade de fazer a mochila, cair na estrada e ir conhecer este hotel !!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s